Sentimento Mediano

"Temos tantos sentimentos, que é frequente persuadir-nos de que somos sentimentais..."

Coração Pluvial - c/ Aúdio Esboço

.
.

Fala Pessoal,

A maioria dos posts aqui do blog, eu já escrevi a algum tempo.
O post de hoje(acabei de escrever) é relacionado as castigantes chuvas que atualmente
arrasam o nordeste.
As grande cidades não possuem a mínima infra-estrutura
para evitar o estrago dessas chuvas, imaginem as pequenas e pobres cidades.
É muita gente sofrendo e até perdendo a vida. Esperamos o mínimo das autoridades. Quem puder mobilizar-se na ajuda aos desabrigados é de boa valia.
Vamos torcer pelo fim desse tempo ruim, sempre.



Você parece ser um cara descolado
Difícil se sentir carta fora do baralho
Quase nunca fica fora de uma dança
Isso vem de muito tempo, quando era criança
Todos falavam esse cara é gente boa
Sua humildade assim a te guiar
Não tinha tempo ruim, se puder ajudar
"-Deixa comigo nem se preocupa tá?"

Fazia questão de se integrar
Sem descriminação, preconceito
Sua grande e maior riqueza
Era a familia, sempre unida
Na maioria do lugares por onde passou
Colecionou amigos
E também se apaixonou
É, ele tinha sua princesa

Previsão de tempo ruim
Alerta ligado
Com uma chuva de decepção
Alagou seu coração

Seu castelo ruiu
E ele partiu

 Sentimento Mediano - Sentimento Mediano - Coração Pluvial

18 comentários:

Ana Paula Moreira 7 de maio de 2009 16:11  

Muito bonito seu texto. Gostei demais. Realmente é uma tristeza ver o que as chuvas estão fazendo com o jáo sofrido povo nordentino. Nossos políticos tem que tomar providências.

Gisela Melloso 7 de maio de 2009 16:46  

Muito lindo Juanito,
Parabéns pela poesia, e quanto mais gente ajudando melhor.
Como no sul, temos mesmo que tentar fazer alguma coisa e de alguma maneira.

Forte abraço

Onaldo 7 de maio de 2009 18:37  

Amigo,
Trabalhar o sofrimento humano com poesia é um dom raro, quando bem feito, como é o seu caso, um presente para a humanidade!'
Ótimo seu blog!

Visite-me:
Blog em Português: http://goiaschaopoemadobao.blogspot.com/

Blog in English: http://onaldoscorner.blogspot.com/

Fábio Flora 7 de maio de 2009 21:23  

Enquanto o Nordeste sofre com as chuvas, o Sul atravessa um período de secas. Graças ao aquecimento global, esses fenômenos estão cada vez mais intensos. Abraços e sucesso com o blog!

Jonh171Gatinho 7 de maio de 2009 21:49  

muito bonito o texto

Nat Valarini 8 de maio de 2009 11:22  

Bom dia Juanito!

Eu babo quando encontro um poeta que usa sua arte apra falar de outros assuntos.

Tua postagem está muito bela e informativa, com forte traço social.

Fiquei feliz em conhecer o teu trabalho.

Kiso!

liondesign 8 de maio de 2009 11:31  
Este comentário foi removido pelo autor.
liondesign 8 de maio de 2009 11:32  

ae, valeu comentario, estou ainda crescendo nessa area se Deus quiser logo consigo algo, valeu
fica com Deus

Fabricio bezerra da guia 8 de maio de 2009 11:38  

Ninguem tá ligando pra essas enchentes.Na epoca das enchentes de Santa catarina. todo mundo ligou por que era epoca de natal

Celma Araújo 8 de maio de 2009 11:43  

Parabéns lindo o seu texto...
Mas sabe, a situação do povo do nordeste sendo castigada pela enchente é realmente muito preocupante, e me faz lembrar do estrago em Sta Catarina...E não entendi ainda pq o Brasil ainda não foi mobilizado para ajudá-los...como foi no Sul!
Esta esperando o quê?

Rogerio 8 de maio de 2009 13:00  

vc reuniu a tregedia da chuva...com um poema...legal parabens....

Rogerio Lima 8 de maio de 2009 13:21  

Gostei do Texto Seu Juanito!!! Graças a DEUS aqui em Pernambuco não caiu nenhuma gota de chuva!!! vamos torcer para que a situação nos Estados atingidos possa melhorar!!!

Flw

http://poemasgoticos.blog.oi.com.br

Leandro de Souza 8 de maio de 2009 13:31  

otima musica com uma otimo texto
mas um assunto que culpa do sarney

Leandro de Souza 8 de maio de 2009 13:31  

há visita e comenta lá
http://teoriadopensador.blogspot.com/2009/05/mudancas.html

Negão Internauta 8 de maio de 2009 18:59  

Cara, meus parabéns pela sensibilidade. Isso sim é uma boa poesia.

Bonito mesmo.

=)

TAIS MOREIRA 8 de maio de 2009 19:52  

Cara...adorei seu texto, ele retrata exatamente a situação lá no Nordeste.
Parabéns pelo post!
Beijos

mano maya kosha 9 de maio de 2009 00:44  

Fantástico a forma natural com que encaixa o aspecto social dentro do contexto poético ... e nós como vc disse, ficamos mais uma vez aguardando, e assim o meu medo, é que acabemos acostumando.

Carol Petry Matzenbacher 9 de maio de 2009 00:51  

hahahah, obrigada por elogiar a minha participação no DeGaragem!

Lindíssimo o teu texto. É simples. Mas me trouxe na memória o que comoveu muito o Brasil no final do ano passado. E que até hoje comove.
Minha pergunta é a mesma da Celma.

Se quiser conhecer o meu blog, fica a vontade!
www.filhasdapuc.com